Our Community
Fotos
Vídeos
Artigos
Forum
CLOSE

Servindo Como Jesus


O evangelho de João tem 21 capítulos, os 12 primeiros relatam o ministério de Jesus que durou aproximadamente 3 anos e meio (1200 dias). Entre os capítulos 13 e 17, é relatado apenas 1 dia e os últimos capítulos falam da morte, ressurreição, e todo o restante da história que são aproximadamente 43 dias. Estes 5 capítulos (13 – 17) demonstram a importância da conversa de Jesus antes de sua morte. Como um pai que em seus últimos momentos de sua vida reúne sua família e revela o que há em seu coração. Costumo chamar estes 5 capítulos de “o legado de Jesus

 

O Legado

João 13 (Qualidade)

O que é legado? Um bem material ou imaterial que alguém passa para as próximas gerações.

Então João dá muita importância ao que aconteceu nestes capítulos. Vamos nos colocar neste momento em que os discípulos estavam vivendo. Jesus sabia que ia morrer, então ele entra em Jerusalém e o povo exclama “bendito seja aquele que vem em nome do senhor”, mas os sacerdotes já haviam concordado em matar a Jesus e a lázaro que  também havia ressuscitado e era uma prova evidente de quem era Jesus. Então nos dias dos pães ázimos (pão assado sem fermento, feito somente de farinha de trigo), que era necessário sacrificar um cordeiro pascal, Jesus procurou reservar um espaço de tempo para encontrar-se e ter intimidade com seus discípulos, sendo a ultima vez antes de morrer.

Lucas 22: 8-12

A história deste encontro de Jesus com seus 12 discípulos está relatado nos 4 evangelhos, mas João, que foi o ultimo evangelho a ser escrito, deixou de lado algumas coisas que já estavam nos outros evangelhos e se concentrou em relatar o que não estava nos outros evangelhos. Neste encontro único com seus discípulos, Jesus abre seu coração para comunicar seus anseios mais profundos para eles e para todos os outros discípulos que viriam ao longo da história. Sua intenção era marcá-los de um jeito definitivo. Este é o legado mais precioso que Ele nos confiou e os deixou para o ultimo momento. João entendendo isto, dedicou 5 capítulos de seu evangelho(sabendo-se que os evangelhos firam divididos em capítulos posteriormente).

Precisamos que o Espírito Santo derrame sobre nós sabedoria e revelação e, com a ação poderosa da palavra, paramos nossas atividades diárias para estarmos com Jesus, sejamos também marcados pelo espírito santo de maneira ascendente e que possamos ser transformados, que os aspectos valiosos sejam revelados a nós.

O lava pés

João 13:1-17

Irmãos se estivéssemos ali e Jesus se aproximasse para larvar nossos pés, qual seria nossa reação? O desconforto de Pedro, todos teriam. Os outros não expressaram, mas, tiveram o mesmo sentimento. Como Jesus, o unigênito do pai, vai lavar meus pés?

Aspecto histórico do lava pés

Era um costume antigo do povo de Israel. Um costume de lavar os pés e mãos antes de comer, pois as mesas não eram como as nossas, não usavam cadeiras. As mesas eram baixas e para comer eles sentavam em almofadas, além disso, eles não usavam sapatos e sim sandálias, os caminhos eram empoeirados e os animais de carga cooperavam com a sujeira das ruas. Era inevitável que aquele que se sentava à mesa estivesse sujo. Então era um ritual lavar-se antes de comer. Abrão antes de receber os três varões (Gênesis  18) disse: “mandarei buscar um pouco de água para lavar os pés…”. Então era importante lavar os pés, mas naquele tempo cada um lavava seus próprios pés. Quando os sacerdotes entravam no tabernáculo, no pátio havia uma bacia de bronze, onde antes de entrar eles tinham que se lavar. No tempo de Jesus, o costume havia mudado um pouco, as famílias ricas tinham escravos. Deus nunca condenou a escravidão, então Israel acostumou-se a ter escravos. Os escravos que estavam no nível mais inferior eram encarregados de lavar os pés das visitas antes do jantar.

Não sabemos o que aconteceu naquele momento, se Jesus disse que não queria nenhum escravo na sala ou simplesmente ninguém providenciou um escravo para lavar os pés, que é o mais provável. Quando estava tudo preparado, se sentaram e o escravo não estava, e ali estava a bacia, a toalha…. Comer daquele jeito não era recomendável, mas quem vai lavar os pés? Nenhum discípulo tomou a iniciativa. Pedro pensou: “se eu levantar, vão pensar que sou o escravo!”. Não sei o que passou na cabeça de cada um…  Se nós estivéssemos lá, o que faríamos? Jesus com toda naturalidade, levanta-se, tira a capa, e vai pegar a bacia, então pensam que ele ia pedir a um discípulos… mas não! Ele prostrou-se e começou a lavar os pés dos discípulos… Não era uma cerimônia, os pés estavam sujos. todos ficaram impressionados ninguém ousou falar, nenhum pediu a Jesus para fazer. Finalmente Pedro não aceitou.

Jesus: “O que faço você não compreende agora, mas depois vai entender.”
Pedro: “Não aceito”
Jesus: “Se não deixar lavar, não tens parte comigo”
Pedro: “Lava todo meu corpo”

Todos estavam impressionados, mas para Jesus era normal. Diante da admiração de todos, Jesus voltou para a mesa e lhes disse: “Entendei o que vos tenho feito? Me chamam de mestre e Senhor e dizeis bem, se eu sendo Senhor e mestre vos lavei os pés, vocês devem lavar os pés uns dos outros. porque eu vos dei exemplo, para que como eu vos fiz, façais também”.

Se Ele é o mestre, eu sou o discípulo. Se ele é o Senhor(kyrios), eu sou escravo.

Ele se esvaziou de sua autoridade se tornando escravo. Com seu exemplo, Jesus estabeleceu algo que quebra todos os paradigmas, costumes, culturas mundanas, hierarquias falsas. Estabelece a marca que deve caracterizar a todos os seus discípulos. Servir. Quem quer ser o primeiro, seja o ultimo. Quem quer ser o maior, seja o menor, como o filho do homem que veio para servir e não para ser servido. Devemos ser o primeiro em servir. Isto muda as culturas. É simples. Nossas brigas devem ser invertidas.

Quem é maior, quem senta à mesa ou quem serve?

Fazer os serviços mais simples, menos gratificantes, aqueles que todos querem evitar. Servir aos irmãos, esposa, velhinhos,… Servir aos inimigos. Judas estava ali entre os doze. Jesus sabia que ele haveria de trair, mas Jesus também o serviu, lavou seus pés. Se teu inimigo tem fome, dá-lhe de comer…

Coloquem seus aventais, dêem um nó de forma que nunca saia. Coloque o avental em todo o lugar que esteja. Quando estamos no lugar de trabalho, há tarefas que todos se esquivam, coloque seu avental de discípulo…

Testemunho sobre o Papa Francisco (Jorge Mario Bergoglio)

Um amigo pastor brasileiro, durante a semana da posse do novo papa, me disse: “Jorge, parabéns por um papa argentino. Antes tínhamos que conviver com Maradona, agora com papa argentino, a argentina é um mistério.” Eu respondi: “Querido irmão, obrigado pelos parabéns, mas além das piadas estamos contentes não pelo papa ser argentino, mas sim porque ele é um homem humilde, homem de oração, está perto dos pobres, anda nas favelas sem segurança, para se deslocar, pega o ônibus como qualquer cidadão, e é assim que nos alegramos. Conhecemos ele, muitas vezes oramos junto com ele. Em muitos encontros evangélicos, ele estava conosco. Então estamos contentes porque ele prega o que ele é. Tudo o que ele fazia durante 25 anos em Buenos Aires, nem os argentinos sabiam, agora que é papa, todos querem estar com ele.

Isso não significa que concordamos com todas as doutrinas católicas, mas se ele é um homem de oração, oremos por ele porque seu exemplo está quebrando paradigmas.

Os bastidores

Porque Jesus faria isto com tanta naturalidade?

1 – resposta – Jesus amava – João 13:1

A primeira ação que levou a Jesus lavar os pés foi o amor. Para aquele que ama, servir não é um fardo. O amor é o maior de todos os mandamentos. É o motor que faz tudo funcionar. O amor nos motiva e nos impulsiona a servir, a fazer a vontade de Deus com alegria. O amor é imutável. Jesus amou seus discípulos até as últimas consequências.

Motivação vem de motor.

Nos últimos momentos, Jesus devia ter sentido saudades antecipadamente de seus discípulos. Como agiríamos com nossa família e com seus irmãos se você soubesse que estaria nas ultimas 24 horas de vida? Como trataríamos a todos se estivéssemos próximos da morte?

O que é amor? É pensar no outro. É colocar seu avental de servo. O amor limpa o outro irmão. O que não ama, suja seu irmão (Fofocas, ofensas, feridas, críticas, calúnias,…). O amor lava, a falta de amor, suja!  Aquele que ama se interessa pelos outros, quem não ama ignora o outro, é individualista. O individualismo que há hoje é contrário a Jesus.

João 13:34

2 – resposta – Jesus não tinha complexo de inferioridade – João 13:3

Jesus sabia quem Ele era e que o Pai o tinha dado todas as coisas, por isso, sem qualquer complexo, Ele se levanta e lava os pés dos discípulos. Ele tinha certeza de quem era. Em contraste com o complexo dos discípulos que se constrangeram com a atitude de Jesus. Aquele que não quer serve tem complexo de inferioridade. Aquele que sabe quem é, não tem complexo de inferioridade.

3 – reposta – Jesus não permitiu que seu estado anêmico o impedisse de servir. – João 13:18

Jesus sabia que seria traído. Ele estava triste. Não era fácil! Jesus sendo Deus, se fez homem com todas as nossas fraquezas, mas não pecou. Cuidou dos discípulos durante três anos, e um deles o trocou por dinheiro. Jesus estava triste mas Ele sabia quem era. Então Pedro pede para João perguntar a Jesus quem é o traidor e Jesus responde: “Vou molhar o pão, e a quem eu entregar, este o será”. Molhou o pão e entregou a Judas. Com tudo isso, Jesus não permitiu que seu estado de desânimo paralisasse seu serviço.

Quantas vezes ficamos parados no serviço por causa de nosso de nosso estado emocional? Devemos superar qualquer desconforto interior, priorizar as necessidades dos outros. É verdade que temos tempos difíceis, mas não podemos deixar de servir. Não podemos parar de evangelizar e cooperar por causa de nosso estado emocional. Às vezes temos vontade de pregar… outras vezes não temos… Com vontade ou sem vontade devemos fazer a vontade de Deus. Temos que servir nos tempos difíceis e nos dias fáceis, dias de chuva, ou sol,… Vamos seguir o exemplo de Jesus. A vida cristã, não é simplesmente uma imitação de Jesus, é Cristo em nós. Já não vivo eu, mas cristo vive em mim, ele é o servo que está em mim. Apresento meu corpo para que Ele continue lavando os pés dos meus irmãos.

Na primeira vez que vim a Recife, (1998) eu ensinei uma canção muito simples.

“Jesus, Jesus de Nazaré
Tua mesma imagem eu quero ter
Como tu és, desejo ser
Jesus, Jesus de Nazaré”

Texto de Jorge Himitian

Comente

SIDEBAR A

Mais Recentes